Notícias

 

:: Contato:
bage@gebage.com


 

 

 

 

 

 

 
:: Algumas Curiosidades
     

• O primeiro time de futebol da cidade de Bagé, chamava-se Sport Club Bagé, e foi fundado em 1906. Adotou entre seus uniformes as cores jalde-negras. Em 1914 encerrou suas atividades. Mas com a fundação do Grêmio Esportivo Bagé, muitos "jalde-negros de 1906" aderiram ao Bagé.

• Dois clubes se uniram para a formação do Grêmio Esportivo Bagé. Um deles, o Rio Branco, que já em 1912 aparece nas competições futebolísticas da cidade. O outro, o 14 de Julho, que foi fundado em 1913.

• Primeiro jogo e primeiro gol: o autor do primeiro gol da história jalde-negra, foi o atleta Argeu. O gol foi convertido na primeira partida do Bagé, jogando contra o Gabrielense, da cidade de São Gabriel. O jogo ocorreu exatamente um mês após a fundação do Bagé, no dia 5 de setembro de 1920, e terminou empatado em 1 x 1.

• O gol 100: foi do atacante Oliveira, imortal de '25, justamente na final que deu o título estadual ao Bagé.

• Primeiro clássico: o primeiro clássico Ba-Gua ocorreu em 31 de julho de 1921, terminando empatado em 2 x 2.

• Maior goleada em Ba-Gua: é do Bagé a maior goleada aplicada em um clássico. A partida ocorreu em 1949, e o Bagé venceu por 7 x 0. Até hoje a bola é guardada como recordação na sede do clube, e recebeu o apelido de "bola 7".

• Maior série invicta: a maior série sem derrotas em clássicos Ba-Gua também pertence ao Bagé. Foram 17 clássicos sem conhecer derrotas, entre os anos de 1939 e 1941.

• O presidente Luis Carlos Osório Alcalde é recordista no cargo de principal comandante do Bagé. O presidente Alcalde ocupou a presidência jalde-negra por 19 vezes, a primeira vez em 1969, e atualmente é o presidente do clube na gestão 2007.

• Paulo de Souza Lobo, o Galego, foi o treinador que mais vezes comandou o Bagé. Entre 1971 e 1980 (não de maneira consecutiva) dirigiu a equipe jalde-negra por 405 jogos.

• Em 1954 o Bagé foi convidado para realizar uma partida amistosa contra o Penharol que comemorava seus 63 anos de fundação. A partida foi realizada no Estádio Centenário, em Montevidéu, e terminou com o placar de 3 x 2 para o time uruguaio. A equipe uruguaia tinha vários jogadores que haviam participado do Maracanaço, em 1950. Os gols do Penharol foram marcados por Hobberg, Pippo e Borges. Camargo e Tejera fizeram os gols do Bagé. A grande peculiaridade desta partida foi um fato histórico: o Bagé utilizou na primeira etapa, a camisa auri-negra do próprio Penharol, em homenagem ao clube aniversariante, que na primeira etapa utilizou a camisa do Central Uruguai Railway Cricket Club, o CURCC, clube que originou o Penharol.

• Em 1959, na Pedra Moura, o Bagé empatou por 1 x 1 com a Seleção do Paraguai.

• Em 1957, o Santos Futebol Clube empata com a Seleção Bageense no Pedra Moura, 2 x 2. O autor de um dos gols santista, foi Pelé.

• Em 1981 o Bagé empatava, num amistoso, com o Peñarol de Montevidéu, 1 x 1.

• Oswaldo Cross Protti, uruguaio nascido em 1925, além de jogador jalde-negro, foi o treinador que comandou a conquista do título do Centenário, em 1959.