Notícias

 

:: Contato:
bage@gebage.com


 

 

 

 

 

 

 
:: Heróis do Centenário
     

Outro título de grande relevância conquistado pelo Grêmio Esportivo Bagé, foi o Campeonato do Centenário da cidade de Bagé. Numa época de rivalidade mais acirrada ainda, o Bagé venceu com brilhantismo a competição, que é ainda lembrada com muito carinho e orgulho pela torcida jalde-negra, inclusive por torcedores mais jovens, que tomam conhecimento da conquista através dos jalde-negros mais antigos.

A despeito de ter sido vice-campeão gaúcho dois anos antes, o Bagé passava por dificuldades financeiras e já tinha perdido alguns jogadores da equipe vice-campeã gaúcha.

O Bagé apostava em valores jovens, entre eles Tupanzinho (que depois jogaria no Palmeiras), além de reforçar o time com outros mais experientes como Roberto Caramuru e Henrique Andrade (vindo do Nacional de Montevidéu) para a meia-cancha.

No primeiro Ba-Gua do Centenário, realizado no dia 13 de setembro, O Guarany jogando em casa, ganhou por 2 x 0, gols de Naninho(ex-Vasco da Gama).

No dia 20 de setembro, jogando no Pedra Moura, o Bagé deu o troco, vencendo por 2x0, gols de de Cabral e Tupanzinho.

No dia 18 de outubro, no Estrela D'alva, nova vitória jalde-negra, novamente por 2x0, gols de Cabral e Eusébio, conquistado assim a vantagem na grande decisão, de poder sagrar-se campeão com um empate.

Na grande decisão, dia 25 de outubro, no Pedra Moura lotado o Bagé conquistaria o grande título.

O Bagé jogou com: Antoninho, Gabriel, Sidnei, Carioca e Nélson Teixeira; Roberto Caramuru e Henrique Andrade; Carlos Cabral, Eusébio, Tupanzinho e Storniollo. O treinador era Osvaldo Cross Protti. Também treinaram o Bagé em 1959 Carlos Maria Correia e Delmar Martins.

O Guarany formou com: Célio, Sérgio Cabral, Danga, Sílvio Scherer e Bataclã; Athayde Tarouco e Solis Rodrigues; Ivo Medeiros, Válter, Naninho e João Borges. O treinador era Ivo andrade.

A decisiva batalha:

O Guarany começou o jogo exercendo forte pressão, e logo aos nove minutos, abriu o escore com gol de Válter Valêncio, após esplêndido lançamento de Naninho.

Aos 15 minutos do primeiro tempo, em choque casual com Cabral, o Guarany desfalca-se de Bataclã, que sofre séria lesão.

O Bagé chegou ao empate e ao título aos 20 minutos do segundo tempo. O capitão Emygdio José dos Santos (o "Carioca"), chutou da entrada da área, a bola bateu na trave e foi para as redes.

Os jalde-negros mantiveram o resultado e comemoraram ruidosamente um título que vale por cem anos. No dia 4 de novembro com uma passeata e no dia 6 com banquete no Clube Comercial.

Paulo Passos, José Salvador Ferreira e Terêncio Jose de Lima Pereira foram os presidentes do Bagé em 1959.

Além dos jogadores que disputaram a finalíssima, Osvaldo Cross, Adeval Silva e Ramão Ballejo atuaram na primeira partida da série.

A torcida jalde-negra parabeniza a todos que colaboraram com esta magnífica conquista e conserva viva a lembrança desses heróis jalde-negros.

* Fonte: José Higino Gonçalves, verdadeiro arquivo vivo do futebol bajeense. A ele, nossos sinceros agradecimentos. José Higino